top of page
Itacaré

Itacaré

Paraíso dos esportes radicais na Bahia.

0 visualização

0 curtida

0 comentário

Itacaré

Conheça Itacaré, paraíso dos esportes radicais!

 

Redescoberta pelos hippies e surfistas nos anos 1970, Itacaré teve impulsionamento do turismo a partir dos anos 1990. A cidade é, desde então, conhecida como a capital do surf e dos esportes radicais na Bahia. Prainhas cercadas de morros cobertos de Mata Atlântica e recheadas de ondas perfeitas fazem a alegria dos surfistas, mas seus atrativos não param por aí. 

 

O Rio de Contas nasce na Chapada Diamantina e percorre 618 km até a foz em Itacaré, proporcionando farta natureza e muita adrenalina para os que buscam turismo de esportes radicais na região.

 

Em Taboquinhas, distrito situado a 28 km de Itacaré, acontece a prática do rafting. O percurso dura uma hora e meia e desce as corredeiras em botes, com os turistas devidamente equipados com coletes salva-vidas e capacetes. Por lá você também poderá descer na tirolesa de 180 metros, além de curtir banhos maravilhosos no Rio de Contas! 

 

Outra dica é para os amantes do trekking e do hiking, já que Itacaré é recheada de trilhas incríveis! Todas as praias são acessadas por lindas trilhas que mergulham fundo em uma mata atlântica ainda muito conservada. 

 

Oportunidade especial de observar pássaros e animais silvestres em seu habitat natural e de se deparar com pequenas cachoeirinhas no caminho. Para a galera da canoagem, Itacaré oferece remadas em diversas categorias e estilos. As remadas acontecem em caiaques, canoa havaiana e SUP, portanto, é só escolher o equipamento e explorar os cenários espetaculares dessa cidade abençoada.

 

Um pouco da história de Itacaré

 

A cidade de Itacaré era habitada por tupinambás quando os jesuítas chegaram na segunda metade do séc. XVI, liderados pelo padre Luís de Gran. Construíram uma capela sob invocação de São Miguel e batizaram a aldeia com o nome de São Miguel da Barra do Rio de Contas.

 

As terras de Itacaré faziam parte do grande território da sesmaria das Doze Léguas de Camamu, doadas por Mem de Sá aos jesuítas em 1563. A cidade é mais uma da região originada de reduções indígenas.

 

A aldeia foi elevada à freguesia com o mesmo nome em 1718 e a obra da linda Igreja Matriz de São Miguel foi concluída em 1723, tendo esta data assinalada na portada da mesma até hoje.

 

No ano de 1732, as terras de Itacaré pertenciam à D. Ana Maria Ataíde e Castro, a Condessa de Resende, então donatária da Capitania São Jorge dos Ilhéus. Por sua ordem, o ouvidor Cap. Manoel da Fonseca Jordão elevou a povoação de São Miguel da Barra do Rio de Contas à categoria de vila, e posteriormente à município, sendo o nome Itacaré somente assimilado a partir de 1931.

 

O nome da condessa também também ficou marcado em uma das praias da cidade, que até hoje se chama Resende. 

 

Como em toda a Capitania de Ilhéus, a povoação de São Miguel da Barra do Rio de Contas não teve prosperidade no período colonial. As razões foram fortes represálias empreendidas pelos indígenas e a proibição da Coroa Portuguesa quanto à colonização no interior do sul da Bahia. O intuito era o de proteger a mineração das Minas Gerais e da Chapada Diamantina, ambas acessadas via rios, a exemplo do Rio de Contas em Itacaré.

 

Tal qual as cidades de Belmonte, Ilhéus e Canavieiras, o desenvolvimento financeiro de Itacaré somente se deu por meio da produção de cacau a partir da segunda metade do séc. XIX, sendo seu porto um dos mais importantes da região. 

 

Com a “vassoura de bruxa”, os ricos fazendeiros de cacau abandonaram Itacaré, que se tornou um paraíso perdido até a chegada dos hippies e dos surfistas a partir dos anos 1970.

 

Entenda a estrutura de Itacaré

 

Itacaré possui excelente infraestrutura para o turismo, com muitas pousadas, hotéis, campings e casas disponíveis para aluguel de temporada. Destaque para os resorts localizados em prainhas mais afastadas, como São José e Itacarezinho.

 

Também não faltam opções de compras e onde comer, sendo a rua da Pituba o point onde se concentram a maior parte das lojas e restaurantes, portanto, caminhar por ela é imprescindível para quem está turistando. 

 

Quanto aos passeios, eles podem acontecer de diversas maneiras. O passeio de barco leva turistas para curtir o pôr do sol na Praia de Pontal. Tem também os passeios de carro que levam para as trilhas das praias mais distantes e lindas cachoeiras. Para a galera mais radical, existe a opção do passeio de canoa havaiana, que sai da Praia da Concha e aproveita a belíssima paisagem do Pontal. 

 

De Itacaré também sai um passeio histórico e cultural até a Vila Rosa, para conhecer uma autêntica fazenda de cacau e degustar dos seus chocolates caseiros. Sem contar as opções de arvorismo, tirolesa e o radical rafting pelo Rio de Contas a partir de Taboquinhas.

 

Itacaré também é ponto de partida para passeios até a Baía de Camamu, com suas ilhas paradisíacas e a Cachoeira de Tremembé, além de Barra Grande e a cristalina piscina natural de Taipu de Fora.

 

​A noite em Itacaré é badalada e ferve com a chegada dos turistas, principalmente na alta estação. Os bares e restaurantes com música ao vivo na rua da Pituba são a porta de entrada da noite Itacareense e lá mesmo você poderá se informar sobre onde rolará a festa da noite, normalmente ao som dançante do forró. Mas também rola luau e muitas festas ao som de música eletrônica.

 

Transfer para Itacaré – contrate online!

 

​Os aeroportos mais próximos de Itacaré ficam localizados em Ilhéus e Salvador. A partir de Ilhéus, o transfer sai do aeroporto e te leva diretamente para seu hotel em Itacaré. A partir de Salvador ocorre o mesmo, com o transfer saindo do aeroporto e te levando diretamente para seu hotel em Itacaré.

 

São automóveis novos, climatizados e confortáveis, conduzidos por motoristas profissionais e conhecedores das rodovias da região. 

 

Quer conhecer Itacaré com segurança, viaje com a Bahia Terra Turismo!

Fotos

Conheça mais sobre

Chapada Diamantina

bottom of page