top of page
Ilhéus

Ilhéus

A cidade do cacau onde nasceu Jorge Amado.

0 visualização

0 curtida

0 comentário

Ilhéus

Conheça Ilhéus, a cidade do cacau onde nasceu Jorge Amado

 

Ilhéus foi imortalizada pela obra do seu mais ilustre filho: Jorge Amado. Ele foi o responsável por narrar a cultura cacaueira e ilheense dos séculos XIX e XX. Seus livros foram traduzidos para 56 países em 49 idiomas, sendo o escritor brasileiro mais conhecido no exterior. Muitos deles inspiraram filmes, novelas e seriados de TV, além de peças teatrais, a exemplo de Gabriela, Cravo e Canela.

 

A cidade ainda respira os ares que inspiraram Jorge Amado, basta caminhar um pouco pelas ruas e conversar com os moradores. Facilmente se percebe elementos congelados no tempo áureo do cacau e dos seus coronéis. Mas se engana quem acha que a história da cidade se resume a esse período. 

 

A vila de São Jorge dos Ilhéus foi fundada na primeira metade do século XVI como segunda sede da Capitania Hereditária São Jorge dos Ilhéus, e  nela foram instalados alguns dos primeiros engenhos de açúcar do Brasil. 

 

A história de Ilhéus pode ser conhecida presencialmente através do Tour Ilhéus Histórico, que leva os turistas aos principais monumentos históricos da cidade. Outro passeio deslumbrante é a Rota do Chocolate e Fazenda de Cacau, que proporciona uma incursão nos plantios de cacau e na produção de chocolate artesanal.

 

Ainda no campo histórico, mas também abrangendo as riquezas naturais da região, o Passeio Ecológico Lagoa Encantada é simplesmente espetacular! A lagoa é enorme e dentro dela estão duas lindas cachoeiras acessadas de barco. Vale lembrar também que a região da Lagoa Encantada foi palco de alguns dos primeiros engenhos de açúcar do Brasil.

 

Mas não só de história e cultura vive a cidade, que possui um litoral recheado de lindas praias como a da Concha no Morro de Pernambuco e a badalada Praia dos Milionários. De Ilhéus também parte o Passeio Praia Pé de Serra e Cachoeira Tijuípe, que proporciona um mix de banhos de mar e cachoeira, além de paisagens extraordinárias.

 

Há também a opção de fazer o Passeio Day Use Itacaré, usufruindo de um dia maravilhoso curtindo algumas das suas prainhas de mata atlântica. Outras opções de passeios levam para passar o dia no Morro de São Paulo, destino incrível de mar azul e cristalino, e ao paraíso de Barra Grande e as magníficas ilhas da Baía de Camamu.

 

Um pouco da história de Ilhéus

 

O termo “Ilheos” foi amplamente documentado por cronistas dos primórdios da colonização portuguesa e remete ao fato de a cidade possuir diversas ilhas. 

 

Assim, foi batizada como Ilhéus por Francisco Romero, que após fundar o povoado do Morro de São Paulo entre 1535 e 1536, chegou à Baía de Pontal na década de 1540. A partir daí construiu a cidade sede definitiva da Capitania Hereditária São Jorge dos Ilhéus, a mando do seu donatário Jorge Figueiredo Correa.

 

Seus antigos habitantes eram os tupiniquins e diferentemente dos parentes no extremo sul da Bahia, não receberam os portugueses pacificamente, resistindo muito ao processo de escravização imposto pelos primeiros colonos. 

 

Em 09 de março de 1544, iniciou-se o empreendimento industrial do açúcar em Ilhéus através de um sistema de consórcio. Três lotes de terra foram doados pelo donatário Jorge de Figueiredo Correa em forma de sesmarias aos fidalgos Mem de Sá, Fernão Alvarez e Lucas Giraldes, que juntos dividiram custos e riscos. Os primeiros escravizados utilizados foram os carijós, sequestrados na região de Santa Catarina.

 

Em seu lote de terra, Mem de Sá construiu um engenho de açúcar e deu-lhe o nome de Engenho de Sant’Ana. Os primeiros africanos escravizados começaram a chegar entre 1545 e 1549, oriundos da Guiné, sobre a grande movimentação marítima entre Lisboa e Ilhéus frente ao desenvolvimento dos primeiros engenhos do consórcio.

 

Em 1563, Mem de Sá doou a sesmaria das 12 léguas aos jesuítas, terras que iam de Ilhéus à Baía de Camamu. O engenho de Sant’Ana foi doado aos jesuítas pela sua filha, a Condessa de Linhares, onde os religiosos construíram a primitiva Capela de Sant’Ana no final do séc. XVI. Trata-se de uma relíquia, sendo uma das mais antigas igrejas da Bahia e que se encontra ainda de pé às margens do famoso Rio do Engenho.

 

O apogeu da economia do açúcar em Ilhéus se deu entre 1550 e 1559, sendo nesse período uma das Capitanias Hereditárias que mais renderam aos cofres da Coroa Portuguesa.

 

Quando já existiam entre oito e nove engenhos, a Capitania entrou em decadência. Primeiro, em razão da guerra contra os tupiniquins, na qual os engenhos foram destruídos. Quatro deles voltaram a produzir quando houve uma epidemia que matou 75% da população tupiniquim. 

 

Despovoada dos seus inimigos naturais, a região passou a receber investidas dos aimorés, que espalharam terror e arruinaram a Capitania por completo. Muitos colonos fugiram para as ilhas de Tinharé, Boipeba, Cairu e transferiram negócios para a Baía de Todos os Santos.

 

Somente a partir do final do Séc. XVIII com o início da produção do cacau é que Ilhéus encontrou seu desenvolvimento e prosperidade, mergulhando na era dos coronéis do cacau, período clássico da literatura tão explorada pelo extraordinário Jorge Amado. 

 

Entenda a estrutura de Ilhéus

 

Ilhéus possui aproximadamente 9 mil leitos distribuídos em hotéis de luxo, pousadas e albergues. As hospedagens estão localizadas nos mais diversos bairros da cidade, sendo umas mais afastados do centro e espalhados ao longo do litoral, e outras literalmente dentro do centro histórico.

 

Quanto ao litoral, varia entre as praias do norte e as praias do sul, sendo a Praia dos Milionários a mais badalada, dispondo de inúmeras barracas e excelente infraestrutura para receber os turistas. 

 

Em termos gastronômicos, a cidade possui alguns bons restaurantes no centro da cidade e nas praias. Destaque para os restaurantes localizados na praia dos Milionários, em geral são muito bons e servem cardápios completos e ricos em gastronomia baiana.

Traslados em Ilhéus – contrate online! 

 

Por ser uma cidade relativamente grande e dispor de muitas opções turísticas nos arredores, a melhor maneira de se locomover em Ilhéus é através da contratação do serviço de transfer, que pode te levar do aeroporto direto para seu hotel e também para qualquer ponto turístico da cidade.

 

Os transfers da Bahia Terra Turismo também levam turistas para os mais diversos destinos próximos a Ilhéus como: Ilha de Boipeba, Barra Grande, Itacaré, Ilha de Comandatuba, Canavieiras e Belmonte.

Fotos

Conheça mais sobre

Chapada Diamantina

bottom of page